sexta-feira, 1 de agosto de 2014

[Lua Cheia] ESPECIAL I - Sunshine & Seth - Inquebrável

Grupo no face: https://www.facebook.com/groups/232844530231536/
INFO: Esse especial será postado no Nyah! no domingo. 

INQUEBRÁVEL
Bartrock, 27 de Julho.

Sunshine colocou em sua mala tudo o que precisaria. Sabia que não era necessário tanta roupa e bem… Seth já tinha uma boa reserva de roupas suas em sua própria casa. Sentou na cama vendo o celular tocar. Não queria atender e recusar Erick novamente, ele era de sua matilha e ela deveria estar indo a sua casa para ter algum sexo entre amigos, mas ela não queria mais. Ela disse isso claramente, então porque ele continuava ligando como se fosse um namorado ciumento que levou um bolo?
─ O que foi agora, Erick? – Sunshine perguntou assim que atendeu o celular. O ouviu suspirar e sentar em algo, o som a lembrava de um colchão.
─ Por quê? É só isso que eu quero saber.
E a única coisa que eu não te disse. Sunshine ponderou e suspirou.
─ Há outra pessoa. – Finalmente respondeu para ele e ouviu-o ficar em silencio por longos dois minutos. Quando ela estava a ponto de desligar ele fez isso antes, desligando o aparelho.
─ Na minha cara?! – Perguntou para o vento e desligou o celular. Jogou-o em cima da cama e olhou a mala aberta. Estava tudo lá, em menos de 30 minutos estaria no aeroporto e Seth iria busca-la, como sempre.
O coração deu um solavanco e não parou o trote acelerado até ela sorrir sozinha em seu quarto. Ouviu batidas e uma movimentação na casa, até que a porta se abriu revelando Chloe, sua irmã mais velha tentando segurar Erick – que rosnava muito irritado para a colega de bando.
─ Que está havendo aqui? – Lara, mãe das duas perguntou jogando a bolsa no sofá e cruzando os braços para a cena. – Alguém vai me dizer?
─ Também quero saber, mãe. – Sunshine finalmente disse. – O que faz aqui, Erick?
─ Quem é ele? Porque está recusando passar a temporada comigo? Seu pai me garant-
─ Meu pai não garantiu nada a você. Ele disse que não se opunha, mas… enquanto você ficava pensando em conheci pessoas novas e… eu não quero mais acasalar com você, Erick. Não sinta-se mal, eu só decidi seguir por outro caminho.
─ Outro caminho? Diga-me o nome dele e vamos lutar.
─ Não há luta. Eu o amo, não a você.
─ Você é minha. – Erick rosnou quase contra o rosto de Sunshine e puxou o braço dela fortemente. – Vou te marcar e você vai ficar comigo!
─ Não, eu não vou! – Sunshine puxou seu braço do aperto de ferro, mas ele não soltou, só aumentou a força. Ele a subjugou demais e ela simplesmente não queria mais aquilo.
─ Vai sim!
─ Solte-me. – Sunshine disse muito baixo, quase como Jessica, sua outra irmã. – Não haverá mais nada entre nós. Você quem terminou primeiro, ou já se esqueceu?
Mais chocado pelo tom do que pelas palavras, Erick afrouxou o aperto e Sunshine interpôs espaço entre eles, vendo que Chloe tinha saído, apenas sua mãe continuava observando as coisas calada.
─ Tia Minnie me autorizou a passar a temporada longe daqui com o homem que eu quero e eu estou indo dentro de alguns minutos, Erick. Tem muitas garotas no bando, fique com uma delas ou todas, não me importa mais.
─ Para quem costumava me amar feito uma cadela, você arranjou outra foda rápido. – O estalo forte pegou Erick de surpresa, o tapa não doeu metade do que deveria, mas foi um golpe duro no orgulho dele.
─ E para quem costumava foder metade do bando nas minhas costas, você está agindo feito um grande idiota. Não me interessa o que você acha, eu encontrei alguém que me respeita acima de tudo. – Sunshine parou de falar para sorrir, pensar em Seth a deixava leve como uma menina no primeiro amor.
─ Erick, saia. Não há mais nada para fazer aqui e não vou deixar você ofender a minha mais nova outra vez.
─ Não me importa, mamãe. Seth nunca me diria uma coisa feia como isso. – Sunshine disse enquanto caminhava para a porta. Ela parou e se virou, esperando que o gesto fosse entendido por Erick.
─ Seth? Seth? Que tipo de homem tem esse nome de bixa?
─ Seth Harry Clearwater, sobrinho do Omar. Não o procure, será encrenca para você. – Sunshine advertiu Erick e abriu a porta da casa. – Tenho certeza que Grady te daria um castigo dos grandes por incomodar o irmão da garota dele. Não o incomode, estou avisando.
─ Garota dele? Aquela lá é só o problema do verão, não vai durar. – Erick disse e tentou roubar um beijo, mas Sunshine se esquivou o olhando friamente. – Nem isso também. Ele vai te dar um pé na bunda, antes que você possa piscar e o papai aqui não vai te dar outra chance.
─ Eu não estou pedindo por uma. – Sunshine fechou a porta e se encaminhou para o quarto. A mãe a parou a poucos passos de chegar lá.
─ Você está certa do que fez? Está feliz?
─ Estou me sentindo leve, mãe. Só… leve. – Ela sorriu e entrou no quarto, fechando a mala. Agora estava mais certa ainda do que faria, ou melhor, diria a Seth e pediria. Esperava que ele dissesse sim, mas se a resposta fosse um não… bem, ela poderia suportar isso também.
Eu espero. Pensou e lançou o pensamento longe. Não queria ser pessimista nem esperar pelo mal, só foi automático. Tudo saia sempre tão ruim com Erick…
─ Duas perguntas. – Sunshine se virou para a mãe que sorria. – O que achou de Leah? E claro, quando sai o casório?
─ Mãe! – Sunshine suspirou completamente apaixonada. – Seth é incrível e eu não queria ter ouvido isso, mas…
─ Mas…? – A mãe forçou e Sunshine sorriu.
─ Grady está apaixonado, eu tenho certeza. Ele não admitiu quando eu perguntei, mas ele fala nela e seus olhos brilham! E bem… ela parece interessada o suficiente, eu ouvi ela perguntar à tia sobre nosso acasalamento, Minnie estava falando sobre o estado de nossos homens na lua cheia completa. Eu acho que ela está apaixonada também, seus olhos tinham um brilho estranho, algo como um brilho fosco, mas eu acho que ela está no amor e está com medo disso.
─ Certo, querida. Como uma nexo você diria que eles tem futuro?
─ Um lindo futuro juntos, mãe. – Sunshine mordiscou a boca e sabia que sua mãe esperava por uma resposta. – Eu vi só uma cena. Havia um homem, ele falava como um alpha, então acho que é um e ele dizia…
─ Você não pode fazer isso! Ele é… um lobo e vai te deixar, Lee! Vai te deixar como eu deixei!
─ Eu não sou você! – Grady rugiu. – Eu a amo o suficiente.
─ Então a cena meio que corta e eu vi os dois se beijando, felizes. Quer dizer, Grady pedia desculpas e ela só o beijou o interrompendo, mas ela parecia mesmo feliz e sei que estava no amor naquele ponto. Só não sei se eles vão entender os sinais. Grady é tapado as vezes e ela não parece ser alguém no primeiro amor, mãe.
─ E não é. – Sunshine olhou curiosa para a mãe, mas Lara não disse mais nada. – Obrigada. Não vou dizer à Grady, sei que gosta de ver a surpresa. Vai viajar quando?
─ Hoje ainda. Meu avião sai daqui a duas horas.
─ Leve uns quitutes meus para o Seth. – Lara disse saindo da sala e indo a cozinha. Sua voz reverberava pela casa. – E marquem a data logo! Quero netos e não me interessa de qual de vocês virá primeiro, vindo.
─ Mãe! – Sunshine a repreendeu rindo e se jogou na cama. Só um sorriso pairava em seus pensamentos e foi pensando nele que ela se levantou e foi ao banheiro, tomar um banho relaxante antes de ser levada por Bradon no aeroporto.
[…]
Aeroporto de Seatle, 27 de Julho.

─ Senti saudades. – Seth disse assim que chegou perto o suficiente. Sunshine soltou a mala para abraça-lo e sentiu quando ele a beijou. Ela não deixou-se sentir tímida, enquanto retribuía calorosamente.
─ Eu também. Eu…
─ Shi. – Ele disse lhe dando dois selinhos. – Como foi a viagem? – Ele perguntou tomando a mala da mão dela e a guiando para o estacionamento.
─ Boa.
─ Que houve? – Seth perguntou notando o tom estranho dela.
─ Erick não te procurou ou causou problemas?
─ Não. Ele deveria? Quem é Erick?
─ Lembra aquele cara com o cabelo metade branco e metade preto? É ele. E bom… achei que ele ia. Terminei tudo.
Sunshine ouviu o baque e olhou para o namorado enquanto sentia-o segurá-la firmemente e cavar os lábios dela com os dele. Suspirou, pega de surpresa e o correspondeu com paixão.
─ Agora sim é a minha garota. – Ele piscou arrancando um sorriso dela, antes de entrarem no carro.
[…]
La Push, 28 de Julho

Seth observou atentamente enquanto ela suspirava em seu sono cansado da viagem e das seções de sexo escaldante que eles compartilharam durante a tarde. Ele tinha tudo planejado.
Ele diria… Seth ouviu um suspiro pequeno e entrecortado dela, logo os olhos castanho claros abriram-se para presentear-lhe com um olhar brilhante e um sorriso aquecedor.
─ Boa madrugada. – Ele sorriu para ela após dizer. – Que tal um lanche?
─ Seria bom, já estou morta de fome! – Seth levantou-se e murmurando para ela fechar os olhos e espera-lo, ele seguiu para a cozinha.
Sunshine viu seu namorado seguir para a cozinha e desejou que pudesse pedi-lo em acasalamento. Isso seria quase um pedido de casamento e de fato, mais importante que um. Ele não poderia deixá-la e ela duvidava que ele fosse algum dia, realmente partir.
Ainda estava amedrontada com sua sogra. Não que Sue a tenha tratado mal, era só estranho a sogra a receber tão de braços abertos. Sentou-se direito e fechou os olhos, conforme Seth pedira, quando ouviu seus passos perto da porta.
Abriu os olhos para encontra-lo e sufocou um grito.
[…]
Tum, tum, tum. Três batidas calmas e então o coração de Sunshine gritou em seus ouvidos, com batidas rápidas demais para quem deveria estar somente o esperando. Ele fungou e um rosnado gutural saiu de sua garganta, enquanto praticamente corria para o quarto.
─ Solte-a! – Ele rosnou enfurecido enquanto o homem tentava desacordá-la com duas mãos no pescoço dela. Ele não o conhecia mais já o odiava.
Sunshine aproveitou a distração de seu algoz para cravar as unhas nos braços dele. O maldito não soltou, Seth o atacou o peso quase a matou, estava perdendo o ar e a consciência. Não podia permitir, tinha que continuar respirando.
Deus, não! Eu não posso morrer!
O pensamento a aterrorizava e a imagem de Seth estava lá, fixa em sua mente, o sorriso contrastava com o Seth amedrontado que ela vira agora a pouco. Nunca mais deixaria aquela expressão tomar de conta do rosto dele. Nunca mais.
Tentou, com seu ultimo fôlego, deixar a transformação correr ligeiramente. Suas unhas cresceram dolorosamente e ela rasgou parte da carne no braço do filho da puta. Ele gritou e a soltou.
Ela ouviu o som de carne bater no chão, sentiu o sangue que manchava a cama de lençóis brancos e tossiu dolorosamente. Ouviu um uivo alto e só viu reflexos enquanto os dois quebravam uma parede de madeira e brigavam em sua forma lupina pela fêmea.
─ Seth! Cuidado! – Ela tentou gritar, mas a voz não passou de sussurro. Não havia nada mais que fazer, senão avisar Minnie.
Pegou o celular e digitou uma mensagem curta, enviando para Minnie e Lara. Correu, rasgando suas próprias roupas com as mãos, ao puxá-las e seguiu para a floresta, no mesmo rumo dos dois.
Pensamentos, de repente, a assolaram e ela cambaleou. Era território de Sam e Jacob, não devia estar ali em sua forma lupina, não devia estar ouvindo-os, não devia ter se transformado antes de entrar na floresta. Mas nada disso importava quando o homem que amava estava em risco.
Seth? Sunshine chamou em sua cabeça, tentando acostumar-se ao som excruciante das vozes quase gritantes em seu cérebro. Seth?
Vou mata-lo e toma-la sobre o sangue imundo desse bastardo! Ouviu a voz onipresente de Erick e sabia que podia fazer. Simplesmente sabia.
Curvou-se no meio da clareira, ouvindo pares de patas, em seguida levantou-se, levantando muito sua cabeça gigantesca e uivou, sentindo um poder magnífico esvair-se de seu corpo, enquanto a imagem de Seth, humano e lobo, invadia seus pensamentos.
O que é você? Ouviu uma voz profunda perguntar e soube que era um dos alfas.
Sou uma das, agora, cinco nexos do bando de Elroy. Sinto muito invadir seu território e não quero brigar, mas Seth está em perigo. Sunshine pensou, virando-se para contemplar um grande lobo negro, acompanhado de um todo marrom e outro marrom com cinza, pensando nas notícias que surgiam em sua mente como um tiroteio, deixando as imagens fluírem. 
Em seguida Sunshine curvou-se para o alpha saber que ela não era uma traidora e quando ele autorizou, ela voltou a sua pose inicial. Não entendeu o pensamento do alpha, mas obviamente os dois lobos menores entenderam, já que eles trotaram para longe dali.
Preocupou-se. Será que havia sido suficiente? Ela não sabia, mas esperava que a parte do escudo que cedera à Seth fosse. Erick era traiçoeiro, malvado e um dos melhores lutadores do bando de Elroy.
O lobo grande tocou sua pata e indicou com a cabeça para a frente, querendo que ela o seguisse. Sunshine percebeu que a ligação havia se cortado e perguntou-se se Seth estaria bem, era a única explicação plausível. Ele era a conexão deles. Ela o amava o suficiente para que ele fosse.
Eles trotaram por pouco mais que cinco minutos e uma casinha apareceu. Ele voltou a sua forma humana e ela manteve seus olhos baixos enquanto fazia o mesmo. Esperava que ele a respeitasse da mesma forma.
─ Você deve ser a Sunny.
─ Isso. É Shine, na verdade. – Sunshine disse olhando-o nos olhos. Não queria que ele pensasse errado dela. O viu arquear uma sobrancelha.
─ Ouvi Seth chama-la de Sunny no telefone.
─ É que… as outras pessoas me chamam de Shine.
─ Porque você é amarela, suponho.
─ Não. Hm… é que eu sou eufórica. Seth está bem, não está?
─ Ele vai ficar. – Sunshine ouviu uma voz dizer atrás dela e viu dois caras carregarem Seth desacordado e ensanguentado para dentro. Seus ferimentos não pareciam muito ruins a ponto de matarem-no, mas ele certamente precisava de cuidados.
[…]
Sunshine puxou mais forte as mangas do casaco folgado que Sam lhe cedera. Ele lhe dera também uma calça moletom. Ela mordeu o lábio inferior checando a temperatura de Seth. Nunca foi tão feliz por ter aprendido tudo sobre cuidados médicos com sua mãe.
Ouviu-o gemer protestando quando ela teve que limpar um corte bem fundo perto da garganta dele e fez-lhe um cafuné quando acabou. Ouviu quando Omar entrou apressado na sala.
─ Olá, Omar. – Ela cumprimentou-o sem tirar os olhos do namorado. Ele ficava repetindo “ar” e mesmo que ela tivesse dito-lhe para parar, ele não parou.
─ Zar. – Seth ofegou de novo e bufou.
─ Querido, shi. – Ela mandou de novo enquanto Omar o checava de longe.
─ Erick fez isso? – Von questionou aturdido, minutos depois, na sala dos Uley.
─ Sim. – Sunshine confirmou.
─ Sinto seu escudo fraco. Quebrou-o não foi?
─ Sim. – Ela não abaixou a cabeça ante o olhar meio reprovador de Von.
─ Vai acasalá-lo?
─ Não. Eu prometi a Minnie e não vou.
─ Mas você obviamente se importa bastante. – Von suspirou e chutou um Erick já bem machucado. – Ele poderia ter morrido Erick.
─ Excelente! – Erick rosnou baixinho.
─ Excelente? – Von perguntou abaixando-se na altura do outro. – Ela é a minha irmã mais nova e do Grady também. Sabe o que ele faz com filhos da puta que nem você? Sabe?
─ Foda-se!
─ Não. Eu não fodo homens e nem idiotas do seu grau.
─ Minha família…
─ Sua família não é nada. Ela é a filha do alpha, idiota. – Von levantou-se e suspirou audivelmente.
─ Faça.
─ Ahn?
─ Faça. Correu risco à toa, Shine. Faça e fique segura em casa. E… argh… com seu homem. Cara não creio, logo você? A primeira a casar?
─ Quem falou em casar? – Sunshine perguntou apressada. – Nós acabamos de firmar o namoro, Von, não apressa as coisas.
─ É melhor apressar do que perder alguém por lerdeza. – Von disse e de repente sorriu. – Ouviu?
─ Ouvi o quê? – Sunshine deixou a cabeça meio inclinada para ouvir melhor a conversa de Omar e Seth.
Casar.
─ Não é um pouco cedo?
─ Eu a amo e minha irmã e mãe estão quase vivendo em Bartrock. Se é assim, que seja.
─ Fico feliz que esteja se recuperando. – Omar disse baixo. – Você pelo menos tem emprego?
─ Ei! Eu trabalho e estudo!
─ Você deveria subir para dizer sim. – Von sorriu e a abraçou. – Não acredito, Tiffany vai acabar com a sua raça. Não deixe ela te por de rosa, ein?
─ Nem morta! – Sunshine riu baixinho e subiu passando por Sam e Emily, que estavam abraçados no sofá, olhando tudo sem entender (e possivelmente ouvir os sussurros).
[…]
Bartrock (Casa de Harry Clearwater), 11 de Agosto.

─ Casar, Seth? Não é muito cedo? – Sunshine perguntou, duas semanas depois, deixando os tênis dele escorrerem um pouco no tanque. Mesmo que ela tinha dito sim, ela queria ter certeza de que era sério para ele.
─ Eu te amo, você me ama e é para sempre. Que coisa mais humana do que o casamento e que poderia nos firmar? Além do mais quero por uma aliança de ouro bem grossa nesse dedo pra esses gaviões pararem de te secar.
─ Me secar? – Ela gargalhou. – Que exagero!
─ Exagero? Hump! – Ele fingiu emburrar e a imprensou contra o tanque em que ela tinha lavado algumas sandálias a pouco.
─ Muito exagero. – Ela disse sorrindo travessa.
Seth capturou a boca dela com vontade e a suspendeu, colocando-a no tanque. Ela o empurrou sorrindo de leve, só para reclamar:
─ Tá molhado, Seth!
─ Vai ficar mais. – Ele sorriu a beijando de novo. Sunshine ofegou contra a boca dele, enquanto ele chupava sua língua e acariciava sua intimidade por cima da roupa. Um gemido rouco escapou de Sunshine e foi abafado pela boca dele, áspera contra a dela.
─ Arrumem um quarto! – Leah brincou pegando algumas roupas do varal e depois do irmão murmurar um “chata”, ela entrou, não antes de dar um cascudo nele, claro.
Seth sorriu e suspirou. Ele queria mesmo ficar, mas ele não poderia ter muito mais tempo. Precisava voltar para La Push a tempo do aniversário de Claire ou Quil ficaria muito chateado.
─ Tem certeza que não quer vir comigo? Eu não vou reclamar, juro! – Ele sorriu para amenizar o que pedia. O bando era muito importante para Sunshine também, ela diria não e ele sabia disso.
─ Eu adoraria, mas não posso, amor. O bando fica sem estabilidade.
─ Se não dá, não dá. – Ele sorriu e a beijou mais lentamente. – Sabe que a Lee tem razão?
─ Sobre? – Sunshine perguntou ofegante, sentindo os seios eriçados.
─ Devíamos ir pro quarto.
E apesar de vermelha, Sunshine pulou do tanque e praticamente guiou Seth pela casa até o quarto de hóspedes que ele ocupava por hora.
Sunshine não ligou tanto para a despedida clara. Sentiria falta dele loucamente, dormiria mal sentindo a falta de seu calor e do sexo que compartilhavam todos os dias, mas sabia que não era para sempre, que ele voltaria logo e isso tinha que acalmá-la.
Foi por isso que simplesmente deixou seu corpo responder com tudo o que seu coração sentia por ele. Fechou os olhos com satisfação enquanto o próprio corpo se adaptava ao eixo grosso de Seth e suspirou.
Deus, como eu amo este homem!
Fim =D
Bom pessoal esse é o final do especial xD
Não da fic, então nada de me abandonarem ok? =D
Espero que tenham gostado e comentem muuuuuuito!

Beijinhos e até a próxima =D

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Pensei besteira, mas ok xD
      Obrigada por ler e comentar *-*

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu ri! Nada ><

      Up é só pra dar presença ><

      Excluir
    3. KKKKKKKKKK
      Pensei besteira de novo "marcar presença" kkkkkkkkk

      Excluir

Obrigada por comentar! Me deixa muito feliz *o*
Se tem dúvidas, pode perguntas quantas vezes quiser e eu responderei assim que for possível~XOXO.